Minha Marmita Tem

cozinha de guerrilha

Diário da reforma: cozinha de guerrilha – Marmita Warfare

Como já sabem, estamos em reforma. Quem acompanha o Instagram do blog deve ter percebido que a reforma já está bem evoluída, mas ainda falta bastante pra terminar.

Quem já fez reforma morando dentro do local sabe o stress que é, ainda mais quando falamos de um cômodo que é único, como a cozinha.

Mas este é um blog de marmita e não é a falta de uma cozinha decente que vai nos impedir de preparar a tão sagrada marmita da semana, né?

Como a Rebecca já disse lá atrás, uma das nossas maiores influências sempre foi o “Larica Total”, programa cuja filosofia é a de cozinhar não se travando pelas limitações (quem não se lembra de quando ele fez uma tortilla de batatas usando Ruffles?). Então, não é porque nossa casa está totalmente em frangalhos, com paredes derrubadas e bagunça por todos os lados que não vamos levar marmita, certo?

De início, utilizamos a cozinha emprestada dos Rolim, uma família que é praticamente a nossa segunda família. Eles abriram a casa pra gente e aproveitamos os almoços de domingo, que cozinhamos juntos, e preparamos nossas marmitas, que tinham que ser mais planejadas, já que não poderia faltar nenhum ingrediente. Isso realmente nos ajudou, mas, convenhamos, nunca é igual cozinhar na casa dos outros, mesmo que os outros sejam família.

Por isso, assim que a reforma começou a avançar e a parte com mais pó e sujeira já havia passado, decidimos nos arriscar e tentar preparar a marmita inteira aqui em casa, do jeito que fosse.

Uma grande motivação veio do canal de YouTube “Grandpa Cooking”, um canal onde um vozinho indiano cozinha quantidades massivas de alimento para crianças carentes, utilizando fogueiras no meio do mato.

A chave para o sucesso para cozinhar quando sua cozinha não existe é perder o medo das panelas elétricas.

Elas são mágicas! Ganhamos uma panela de pressão elétrica de casamento dos nossos amigos e pegamos uma de arroz emprestada dos Rolim. Nisso, minha mãe pegou a pia que havia sobrado da cozinha antiga, utilizou uma torneira que o pedreiro havia improvisado para emergências, colocamos uma tábua em cima de uma escada de 3 degraus e pronto: cozinha de guerrilha pronta!

cozinhar sem ter cozinha

Com as panelas, pia e bancada, montamos uma marmita completa com feijão preto e paio, arroz branco soltinho (ficou tão bom quanto na panela normal – e eu sou bem chato com arroz), refogamos couve na panela elétrica e pronto: uma semi-feijoada light para a semana!

como fazer feijoada na panela elétrica

A Rebecca também aproveitou que o mercado perto de casa vende frango cozido já desfiado e fez um fricassê de frango utilizando o mixer, que ficou uma delícia! 

receitas fáceis sem fogão

Ou seja, acabou a desculpa: com um pouco de criatividade e planejamento, não tem como falhar na marmita!

E você, já teve sua experiência de cozinha de guerrilha? Conte sua experiência pra gente nos comentários!

Comente o que achou!

comments

Leave a Reply